Como evitar problemas no motor do carro

motor do carro

Há muitas falhas possíveis que podem acontecer com veículos. Dentre elas, porém, as que mais assustam, geralmente são relacionadas a problemas no motor do carro.

Isso porque é comum que esses tipos de falhas no veículo sejam mais custosas e demandem mais tempo para serem consertadas.

Além disso, há sempre a preocupação de que o carro nunca mais seja o mesmo após os reparos. Receio este que pode ser justificado a depender de como e por quais profissionais é feito o conserto.

Assim, para evitar a tormenta e a dor de cabeça de ter problemas no motor do carro, o melhor a se fazer é cuidar do automóvel e evitar tudo isso.

E para ajudar a todos que querem se ver bem longe desse tipo de contratempo, preparamos uma série de cuidados a se ter com o carro para manter a saúde mecânica do veículo. Leia abaixo!

E por falar em durabilidade mecânica, confira essas dicas para aumentar a vida útil do seu motor.

1- Faça revisões regularmente no motor do carro

Fazer revisões pode parecer uma medida até mesmo irritante, de certa forma. Ter que parar toda a rotina e ficar sem o próprio carro durante um ou mais dias certamente é um grande estorvo para muitas pessoas.

As revisões, no entanto, tem papel muito importante na preservação do veículo – muito por conta disso, carros com as revisões em dia apresentam maior valor de mercado.

Quando realizadas respeitando a periodicidade ou a quilometragem corretas, esse processo garante que problemas sejam antecipados ou diagnosticados antes de causarem danos significativos ao carro.

Isso preserva não só o motor, como outros componentes de um automóvel, assegurando seu funcionamento e segurança.

2. Ao trocar peças do motor do carro, escolha marcas de boa procedência

A necessidade de trocar as peças de um veículo denota que algo não está certo nele. Por isso, se a sua ideia é manter a longevidade do carro, escolha sempre peças de boa procedência.

Peças de má qualidade podem não apenas se desgastar mais rápido e demandar novas trocas, como também prejudicar outros componentes próximos.

3- Abasteça sempre em locais de confiança

A qualidade do combustível que você usa para abastecer o seu carro pode ter consequências diretas com relação ao seu desempenho.

Dessa forma, tente sempre abastecer em postos de gasolina de confiança, visando ter a certeza do tipo de combustível que está sendo colocado no seu tanque.

4- Em caso de problemas no motor do carro, faça reparos apenas com os melhores profissionais

Se mesmo seguindo essas dicas você tiver o azar de ter problemas no motor do seu carro, saiba que a melhor medida a se tomar é fazer os reparos necessários com os profissionais mais confiáveis.

Quando o seu carro está com algum problema é o momento de maior fragilidade do veículo. Portanto, um reparo mal feito pode muito bem trazer graves consequências futuras.

Auto Peças em Sorocaba

No quesito profissionais de confiança, a Center Peças Fabbri é uma referência no mercado, contando com a melhor equipe para cuidar do seu carro com a maior atenção e eficiência possível.

Sendo assim, em caso de problemas no motor, entre em contato com a CP Fabbri e faça os reparos que o seu veículo pede!

Acendeu uma luz no painel?  Saiba o que fazer clicando aqui.

Perguntas frequentes sobre o óleo 15w40

óleo 15w40

Trocar o óleo do motor é uma ótima forma de preservar componentes mecânicos de um veículo. Essa troca pode ser benéfica em muitos aspectos e, ainda que muitas pessoas não sejam especialistas no processo, o uso do óleo 15w40 é extremamente comum.

Justamente por conta disso, não são poucas as dúvidas referentes a esse tipo de óleo e suas ações dentro de um automóvel.

Afinal de contas, antes de sair colocando qualquer coisa dentro do carro, as pessoas normalmente preferem entender o que é, quais as indicações e especificações técnicas e como isso funcionará na parte mecânica.

Preparamos uma lista de dúvidas frequentes sobre o óleo 15w40 para esclarecer tudo que possa transformar a troca de óleo em um momento de maior tranquilidade e transparência.

Confira:

1- O que significa óleo 15w40?

A letra “w” em meio aos números de especificação do óleo significa “winter”, termo inglês para a palavra inverno. Mas fique tranquilo, isso não quer dizer que é um óleo para ser usado apenas durante essa época do ano.

O caractere em questão é uma forma de indicar aos clientes a viscosidade do óleo em baixas temperaturas, quando o carro não está com o motor ligado e funcionando.

Assim, o primeiro número, no caso o 15, diz respeito a essas temperaturas mais frias, e o segundo número, no caso o 40, diz respeito à viscosidade em temperaturas maiores, aquelas atingidas com o carro em movimento.

2- Qual a diferença do óleo 15w40 para o óleo 10w40?

A partir da resposta anterior, já é possível antever uma explicação para essa pergunta. Esses números em conjunto com a letra “w”, como já dissemos, indicam as faixas de viscosidade do óleo.

E essas faixas são importantes porque cada automóvel possui uma necessidade diferente. No caso específico da comparação entre os óleos 15w40 e 10w40, o segundo é mais fluido em temperaturas frias que o primeiro, muito embora ambos funcionem da mesma forma em temperaturas mais elevadas.

3- Qual óleo escolher para o meu automóvel?

Cada automóvel possui uma necessidade diferente a depender da sua marca, país de origem, componentes do motor, etc.

Por isso, o ideal é sempre consultar o manual do veículo ou pedir auxílio a um mecânico de sua confiança para te ajudar no processo.

Usar óleos inadequados pode acabar prejudicando o veículo. Assim, leve a sério as orientações técnicas por mais que existam outras opções de óleo menos adequadas e mais baratas no mercado.

4- Eu posso misturar óleos de faixas de viscosidade diferentes?

Fazer esse tipo de mistura é extremamente não indicado para qualquer veículo. Adicionar, por exemplo, óleo 20w50 a um reservatório previamente preenchido com óleo 15w40, pode ocasionar em sérios problemas para o motor.

Problemas estes que podem aumentar o desgaste entre componentes e diminuir a vida útil das peças dessa área do automóvel.

Para mais dicas e informações, acesse o blog da Center Peças Fabbri

Se algum desses esclarecimentos, de alguma forma, te ajudou a sanar dúvidas ou incertezas sobre a troca de óleo, saiba que a CP Fabbri conta com um blog exclusivo de dicas.

Há mais de 50 anos no mercado automobilístico, reunimos ao longo do tempo uma série de experiências que nos ajudam a entender melhor o mundo dos automóveis. 

No nosso blog, reunimos informações importantes para os amantes de automóveis. Acesse e confira!

Qual o óleo mais grosso o 10w40 ou 15w40?

A nomenclatura do óleo indica sua viscosidade em estado mais frio e em estado mais aquecido. Dessa forma o óleo 15w40 é mais espesso que o 10w40 em estado natural e eles possuem a mesma espessura quando aquecidos.

Qual a kilometragem para a troca de óleo?

É importante checar o óleo sempre que o carro for levado à revisão. No entanto, também é imprescindível conferir o manual do veículo, ou consultar um especialista, pois cada veículo possui uma especificidade.

Qual tipo de óleo devo utilizar no meu carro?

Cada carro possui uma necessidade diferente, portanto, para saber qual tipo de óleo utilizar, é preciso consultar o manual de cada veículo.

Entenda as principais diferenças entre o escapamento esportivo e o comum

escapamento esportivo

Em carros e motos, os escapamentos fazem parte do imaginário popular muito mais como item decorativo do que funcional dentro dos componentes mecânicos de um veículo.

No entanto, os escapamentos possuem funções técnicas muito importantes e que devem ser melhor observadas.

Um primeiro passo para esse olhar mais preciso, portanto, deve ser o entendimento das diferentes características dos diversos tipos de escapamentos.

Separando de uma forma mais simples, é possível manter o foco apenas entre os escapamentos esportivos e os convencionais.

Para que serve o escapamento?

O escapamento, tanto de carros como de motos, é um canal que serve para expulsar gases de combustão.

Além disso, esses gases são reunidos e resfriados em conjunto e o escapamento ainda conta com um funcionamento que permite a redução de ruídos.

Esse componente, quando em bom estado, contribui para a conservação do motor de um veículo, melhorando o seu desempenho e evitando gastos exagerados de combustível, que podem ser um grande problema a longo prazo para donos de veículo.

Em alguns casos, pode chamar atenção pelo seu design mais arrojado e extravagante.

Assim, dentre os tipos de escapamento, é comum que os modelos esportivos sejam mais atrativos aos olhos desavisados.

Mas, no final das contas, deixando de lado a parte estética, qual a diferença de um escapamento comum para um escapamento esportivo?

A principal diferença entre um escapamento esportivo e um convencional

A diferença técnica mais marcante de um escapamento esportivo para um convencional está no coletor de escape.

Os escapamentos esportivos, via de regra, contam com coletores maiores e mais sofisticados. Apenas isso já é o suficiente para que a capacidade de coleta de gases seja aumentada e, por consequência, haja um ganho de potência na roda.

Outros itens, como o abafador, por exemplo, têm a capacidade de aumentar a potência de um automóvel se estiver em pleno funcionamento.

Isso pode acabar se refletindo também no ronco do motor, que inevitavelmente adquire um tom mais encorpado em comparação com o som feito por escapamentos tradicionais.

Essa, inclusive, é a principal vantagem desse tipo de escapamento: tornar automóveis mais esportivos, ou pelo menos permitir que eles tenham características deste tipo mais marcantes.

Na Center Peças Fabbri você pode ter um escapamento esportivo!

Se as vantagens do escapamento esportivo te interessaram a ponto de você considerar adquirir um para o seu carro, não se preocupe.

Na Center Peças Fabbri você encontra tudo o que você precisa quando o assunto é automóvel. Entre em contato conosco e conheça as nossas condições!

Como preservar o amortecedor do seu automóvel

Amortecedor automóvel

Ninguém gosta de ter que trocar peças de carro por conta de problemas mecânicos. Mas essa dor de cabeça, muitas vezes, pode ser evitada com simples cuidados diários. Algumas falhas graves, como problemas no amortecedor, são decorrentes do uso de carros em terrenos para os quais eles não foram feitos, por exemplo.

Não é apenas isso que faz a diferença na preservação de um automóvel. Há uma série de outros fatores influentes nisso.

Por isso, reunimos os principais deles nesse texto para te ajudar a não ter mais problemas de amortecedor.

Para que serve essa peça específica?

Começando com a pergunta mais simples, porém necessária, possível.

Os amortecedores são absolutamente influentes na dirigibilidade de um veículo. Eles fazem com que os pneus mantenham o contato com o solo, além de comandarem o funcionamento das molas.

Em outras palavras, todo o conforto, segurança e até a estabilidade de automóveis são promovidos pelos amortecedores.

O que um bom amortecedor proporciona a um veículo?

Um amortecedor em pleno funcionamento pode proporcionar a um veículo, dentre outras coisas, uma maior preservação dos pneus.

Eles passam a estar sempre em contato com o solo, o que divide o desgaste e aumenta a durabilidade da borracha.

E falando sobre maior durabilidade, os componentes da suspensão também se beneficiam de um bom amortecedor. O desgaste diário das molas é reduzido drasticamente quando essa peça está em boas condições.

Outro benefício é a diminuição da distância de frenagem do veículo. Isso permite que o motorista confie muito mais nos seus freios durante uma viagem.

Em linhas gerais, o veículo ganha muito em dirigibilidade e conforto. Consequentemente, o motorista acaba tendo condições de dirigir de maneira mais relaxada.

Como cuidar do amortecedor para ele ter maior durabilidade

Pode parecer difícil cuidar de um componente que afeta tantas partes do carro ao mesmo tempo. Todavia, é mais simples do que parece.

Pequenas atitudes diárias podem te ajudar a preservar o seu amortecedor, fazendo ele durar por mais tempo.

A primeira coisa a se fazer é conhecer bem o seu veículo. Seja ele um carro de passeio  ou até mesmo um caminhão. Certamente o seu automóvel tem características importantes que devem ser respeitadas.

No caso de veículos pesados, de carga, deve-se respeitar a capacidade máxima de peso a todo momento — sobrepujar o peso máximo irá, aos poucos, estragar as condições do amortecedor.

Quanto aos carros menores, a dica é tomar cuidado com estradas de terra ou rodovias muito desniveladas. A maioria dos automóveis de passeio não está preparada para esse tipo de via e isso pode prejudicar o amortecedor.

Para passar por locais assim, recomenda-se diminuir a velocidade consideravelmente.

Por fim, evitar buracos no asfalto é uma observação que abrange todos os tipos de automóveis. Buracos são os principais inimigos de um amortecedor funcional.

Como trocar um amortecedor?

Se você está lendo esse texto depois de já ter diagnosticado um desgaste do seu amortecedor, então é possível que as dicas profiláticas não surtam mais efeito.

Mas não se preocupe. Entre em contato com a Center Peças Fabbri e faça um orçamento para a troca do seu amortecedor.

Após isso, siga as dicas corretamente e aproveite o aumento de durabilidade do seu amortecedor.

Os benefícios da troca de óleo para o seu veículo

Troca de óleo

Cuidar do próprio carro é um exercício pelo qual quase todos que compraram um automóvel um dia já passaram: lavar, trocar um pneu, fazer a troca de óleo…

Em se tratando de um bem extremamente caro, é normal que cuidados extras sejam tomados. Seja por meio de uma simples lavagem mais caprichada ou pela troca de peças.

A tendência óbvia, quando cuidamos com afinco de alguma coisa, é ela durar mais. Por esse motivo, cuidados como os citados acima são saudáveis, sem dúvidas.

Dessa forma, quando falamos em manutenção de veículos, dentre todas as ações possíveis, logo vem à cabeça a famigerada troca de óleo.

Muitos, no entanto, acabam duvidando dos reais benefícios da renovação do óleo e tiram a troca da lista de prioridades.

Como isso pode acabar prejudicando o seu veículo, decidimos explicar os maiores benefícios trazidos por essa prática. Confira abaixo!

Como o óleo atua dentro do veículo

Explicando de maneira absolutamente objetiva, o óleo funciona como lubrificante do motor. Isso contribui para que os atritos dos componentes metálicos seja reduzido drasticamente.

Esse atrito, a longo prazo, pode causar estragos no motor, diminuindo assim a sua vida útil e podendo evitar problemas mecânicos.

Além disso, a lubrificação gerada pelo óleo ocasiona em uma limpeza das impurezas presentes no motor do carro. Essa funcionalidade, por sua vez, previne efeitos como a corrosão e a oxidação.

Por esses motivos, é importante que o motor do veículo esteja sempre bem lubrificado, de preferência com um óleo recentemente colocado.

Por que realizar a troca de óleo?

Que o óleo é indispensável para o seu motor você provavelmente já entendeu. Mas isso nos leva a uma outra pergunta: por que realizar a troca?

A resposta é mais simples do que pode parecer para alguns. A troca de óleo é efetuada, porque o óleo, com o passar do tempo, também vai se desgastando.

Sua viscosidade inicial, tão importante para a proteção do motor, aos poucos vai se perdendo, Com isso, o atrito no motor aumenta consideravelmente.

Da mesma forma, o líquido lubrificante vai acumulando sujeiras e impurezas, o que impede uma limpeza e proteção mais profundas do veículo.

Benefícios da troca de óleo regular

O ponto de equilíbrio do óleo é a sua troca regular.  Para obter uma vida útil do motor, a troca de óleo é imprescindível.

Por esse motivo, por exemplo, que durante revisões de fábrica recorrentemente ocorrem as trocas de óleo. É uma forma de manter a regularidade da troca e, assim, proteger o motor.

Não podemos nos esquecer que o motor é a parte mais importante de um carro. Portanto, quanto melhor cuidado ele for, provavelmente maior será a conservação do veículo com o passar dos anos.

Se você ficou convencido da importância da troca de óleo, mas não sabe qual o momento certo de realizar a troca, clique aqui e confira o nosso texto sobre o momento certo da troca de óleo!

Fluido de freio: um item de segurança

compartimento de fluido de freio do veiculo

Normalmente, quando se fala em segurança automobilística, vêm à cabeça itens como cinto de segurança, airbags e o cuidado com os pneus. 

No entanto, se o fluido de freio fica de fora dessa lista, a sua segurança não está garantida!

Para que todo o sistema de frenagem opere adequadamente, o fluido precisa estar em um nível adequado, pois é ele quem transmite a força do pedal aos pistões e às pastilhas de freio, reduzindo a velocidade.

Como se não bastasse, o líquido também lubrifica os componentes do sistema de frenagem, gerando proteção contra os desgastes diários.

Fluido de freio abaixo do nível? Corra para uma oficina mecânica!

Por que o nível do fluido de freio estar abaixo do mínimo indica problemas graves?

O sistema de freio é fechado e pelas características do fluido não devem ocorrer variações significativas em seu nível, ao contrário do óleo do motor que precisa ser verificado e trocado constantemente.

Então, se você parou no posto e o frentista apontou que será necessário completar ou trocar o fluido de freio, fique atento! A necessidade de repor o líquido indica algum vazamento que precisa ser reparado em um local de confiança.

O fluido de freio abaixo do nível mínimo, indica que tubos de conexão e cilindros estão comprometidos, gerando vazamentos que colocam sua vida em risco.

Além disso, um sistema de frenagem com defeito, promove  infiltração no fluido, que é muito absorvente. Ou seja, o fluido de freio ficará contaminado.

Contaminação por umidade: qual é o risco?

Para que a frenagem ocorra  adequadamente, os pistões de freio e o cilindro da roda devem ser acionados pelo fluido em estado líquido e sem a presença de bolhas.

No entanto, a chamada contaminação por umidade promove a entrada de água no fluido, ocasionando bolhas  que entram em ebulição, danificando o sistema de freios e prejudicando todo o processo de frenagem.

Isso ocorre, pois, o fluido de freio possui um ponto de ebulição superior ao da água e demora muito mais para começar a ferver, já a água entra em ebulição muito rápido durante a frenagem – que exige altas temperaturas.

Para saber se houve acùmulo de água no seu sistema de freios, é preciso observar se você está tendo a necessidade de pisar cada vez mais fundo no pedal.

Ao primeiro indício, procure um especialista! Mas, não dá para deixar a segurança da sua família nas mãos de qualquer empresa, né?

Conheça a Cpfabbri