Como funciona a desvalorização dos carros?

É fato: assim que sai da concessionária, o carro já começa a desvalorizar, perdendo de 15 a 20% do do valor. A taxa de depreciação de um carro é um dos principais pontos para se avaliar na hora de comprar – e vender – um veículo. Marca, ano de fabricação e categoria são alguns dos agravantes para o nível de desvalorização.

Quando a procura por um determinado modelo diminui, a tendência é que o preço também diminua – é o que ocorre com os usados. Por isso, entender um pouco sobre como funciona a desvalorização dos carros contribui para uma escolha consciente sobre como vender o seu usado e qual zero quilômetro adquirir. Tudo isso sem complicações e nem dor de cabeça.

Por que um carro se desvaloriza com o passar do tempo?

A lei da demanda e oferta é o principal motivo da depreciação de um carro. Ou seja, quanto mais procurado é um modelo, menos desvalorização ele sofre – comprovando o motivo pelo qual os carros populares são os que menos sofrem com a diminuição do valor ao longo do tempo. No entanto, a popularidade do automóvel não é única regra: alguns modelos mais sofisticados também costumam manter o preço, devido sua alta demanda no mercado, fazendo com que o total de revenda seja muito próximo ao que foi pago no início.

Sua peça está aqui, acesse!

Além da demanda por determinado modelo, o estado de conservação também conta. Os usados com arranhões, partes danificadas ou queimadas, amassados na lataria ou problemas na película insulfilm comprometem o valor de revenda, podendo diminuir consideravelmente o preço sugerido. No geral, a depreciação faz com que o proprietário perca boa parte do seu investimento. Para os modelos nacionais, a taxa de desvalorização pode chegar a até 20%; já para os importados, este percentual pode atingir os 50%.

Como minimizar a depreciação no seu carro

Para fugir da desvalorização, não há segredo: a boa conservação ainda é a melhor forma. Depois de quatro anos, a taxa de depreciação vai valer de acordo com a conservação do carro. Faça as revisões regularmente e cuide desse importante investimento para que no futuro você possa recuperar seu dinheiro com o mínimo de perda possível.

Se você pretende vender o seu usado, evite ficar muito tempo com ele. No primeiro ano, a desvalorização pode chegar a 20%. A partir do segundo ano, a depreciação cai para 8% e para 5% nos anos seguintes. Ou seja, quanto mais tempo você o utiliza, menor será o valor da revenda.

Outro ponto é a baixa quilometragem: carros que rodaram menos costumam ter um valor de revenda melhor. Manter as peças originais e evitar modificações, como trocar o para-choque, rebaixar o carro e trocar o jogo de rodas, podem ajudar a conseguir um preço melhor pelo carro. Se precisar fazer a troca de alguma peça, opte sempre pelas originais para que o valor de revenda não seja diminuído drasticamente.

É hora de deixar o seu usado em perfeito estado para garantir um valor de melhor qualidade na revenda. Para peças de motor, jogo de pneus, para-choque, volantes e acessórios, a CP Fabbri é o lugar certo. Estamos há mais de 50 anos no mercado, com uma grande variedade de peças automotivas. Entre em contato e solicite um orçamento!

Clique aqui e encontre a peça que procura!

Center Peças Fabbri Carros 0 Comentários

0 Comentários